quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Grande Sucesso a FEIRA DO LIVRO DO NATAL...

O Centro de Recursos agradece reconhecidamente a todos os que adquiriram livros na Feira do Livro do Natal de 2010, e que permitiram a aquisição dos seguintes novos títulos para a nossa Biblioteca:

Era uma vez a República

Educação sexual como falar com os filhos...

O mais explosivo livro de ciência do universo

O que é isto da química?

História da gaivota e do gato que ensinou...

7 histórias de Lucky Luke

História de Portugal  (Rui Ramos)

Quando Lisboa tremeu

Chamo-me Anne Frank

Chamo-me Eça de Queiroz

Chamo-me Luis de Camões

Chamo-me Vasco da Gama

Chamo-me Cristóvão Colombo

Chamo-me Fernando Pessoa


Feliz Natal, Bom Ano Novo
e obrigado a: LUISA MARIA, EULÁLIA SILVA, LUISA ROSA, LURDES MEIRA, SILVIA CORREIA, CARLOS GARCIA, ANA PEREIRINHA, TANIA, FÁTIMA MORAIS, REGINA PIAS, MAGADA TELHADA, LARISSA MENEZES, ELISA SILVA, TERESA GOMES, AIDA SOUSA, FERNANDA CRUZ, ANABELA NEVES, EDITE TAPADINHAS, ANA CARMO, ISABEL SOARES, ISABEL LOURENÇO, BEATRIZ PIMONTE, SUSANA FERREIRA, LUISA LAJE, ANA AGUIAR, TERESA QUINTAS, LEONOR PINTO, FERNANDA CINTRA, HELENA SEBASTIÃO, ANABELA GONÇALVES, SÓNIA, PAULA QUEIROZ, GABRIELA BENTES, ISABEL LAGOUTE, CONCEIÇÃO INOCENTES, ANA PAULA LOURENÇO, LURDES GUERRA, MARIA CÉU, DULCE LOPES, MARGARIDA MALAQUIAS, SILVIA RAMOS, ANA CORREIA.
E claro um especial agradecimento também à Carla da Livraria Dharma.

O Director do Centro de Recursos
Carlos Garcia
2010-12-21

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Ilustradora VERA PYRRAIT na Biblioteca da Escola EB 2,3 Mestre Domingos Saraiva, dia 14 de Dezembro...

Correu muito bem a visita da Ilustradora que com a colaboração do Instituto de Apoio à Criança esteve a apresentar o Livro Histórias com Direitos. Alunos atentos e interessados ficaram mais valorizados na sua vertente artística do processo educativo.
Vimos como se ilustra um livro, como se projectam ideias e sobretudo como deveremos ser persistentes e atentos a tudo o que nos rodeia.







Obrigado Professora Vera pela lição e obrigado Professora Cláudia (IAC) por nos ter servido de intermediária no processo.

Com a colaboração dos nossos AMIGOS da Escola Secundária Daniel Faria Baltar, do Clube de Contadores de Histórias...

UM PRESENTE DE NATAL QUE JAMAIS ESQUECEREI...



A vida de uma criança é como um pedaço de papel onde
todos aqueles que passam deixam uma marca.
Provérbio chinês

Ele entrou na minha vida há vinte anos, encostado à ombreira da porta da sala 202, onde eu dava aulas ao quinto ano. Usava sapatos de borracha três vezes maiores do que os pés, calças aos quadrados rasgadas nos joelhos.

Daniel fez esta entrada banal na escola de uma aldeia bizarra, ao lado de um lago, conhecida pelas casas coloniais brancas e pelas caixas de correio de latão. Disse-nos que a última escola que frequentara ficava situada num condado vizinho.

— Colhíamos fruta — disse ele, sem rodeios.

Suspeitava de que este rapaz sorridente, amistoso e mal vestido, vindo de uma família de imigrantes, fora atirado para uma jaula de leões do quinto ano, que nunca tinham visto calças rasgadas. Se ele reparou nos risinhos, nada revelou. Não foi rude nem agressivo.

As vinte e cinco crianças do quinto ano olharam para Daniel com desconfiança até ao jogo de basebol dessa tarde. Ele deu então a primeira tacada na bola. Isso mereceu-lhe um pouco de respeito por parte dos críticos do vestiário da sala 202.

A seguir foi a vez de Charles. Charles era a criança menos ágil, a mais pesada de todo o quinto ano. Depois do segundo golpe do batedor, no meio dos esgares de contrariedade e dos protestos da turma, Daniel aproximou-se e falou calmamente em direcção às costas arqueadas de Charles.

— Esquece, pá. Tu és capaz.

Charles animou-se, sorriu, endireitou-se e atacou sem demora. Nesse preciso momento, desafiando a ordem social daquela selva onde entrara, Daniel começou a mudar as coisas – e a mudar-nos.

No fim do Outono, todos tínhamos gravitado na sua direcção. Dava-nos as mais variadas lições. Como atrair um peru selvagem. Como saber se a fruta está madura antes da primeira dentada. Como tratar os outros, até mesmo Charles. Principalmente Charles. Nunca usava os nossos nomes, chamava-me «Menina» e «rapazes» aos alunos.

No dia anterior às férias do Natal, os alunos traziam sempre presentes à professora. Era um ritual – abrir todas as caixas, observar o perfume caro ou o lenço ou a carteira de cabedal, e agradecer.

Nessa tarde, Daniel aproximou-se da minha secretária e segredou-me ao ouvido:

— As caixas para a mudança chegaram ontem à noite — disse ele, sem emoção. — Partimos amanhã.

Quando percebi a notícia, os meus olhos encheram-se de lágrimas. Ele quebrou o silêncio constrangedor, falando-me da mudança. Então, quando me recompus, tirou uma pedra cinzenta do bolso. Deliberadamente e com gestos decididos, colocou-a suavemente na secretária.

Pressenti que aquilo era algo de extraordinário, mas habituada a perfumes e sedas, ficara lamentavelmente desprevenida para responder.

— É para si — disse ele, fixando os olhos nos meus. — Puxei-lhe o lustro.

Nunca me esqueci dessa manhã.

Passaram anos. Todos os Natais, a minha filha pede que lhe conte esta história. Começa sempre depois de ela pegar na pequena pedra polida que está na minha secretária. Em seguida, aninha-se no meu colo e eu começo. As primeiras palavras da história nunca variam.

— A última vez que vi o Daniel, ele deu-me esta pedra como presente e falou-me das caixas. Isso foi há muito tempo, antes de tu nasceres.

— Agora já é um homem — concluo.

Juntas, imaginamos onde estará e o que andará a fazer.

— Aposto que é uma boa pessoa — diz a minha filha.

Depois acrescenta:

— Conta-me o fim da história, por favor.

Sei o que ela quer ouvir: a lição de amor e carinho aprendida por uma professora com um rapaz sem nada – e com tudo – para dar.

Um rapaz que vivia no meio de caixas.

Toco na pedra, recordando.

— Olá, rapaz — digo, suavemente. — Esta é a «Menina». Espero que já não precises das caixas. E Feliz Natal, onde quer que estejas.


Linda De Mers Hummel
Jack Canfield; Mark Victor Hansen
Canja de galinha para a alma – O tesouro do Natal
Mem Martins, Lyon Edições, 2002
(adaptação)

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Ilustradora VERA PYRRAIT na nossa Escola dia 14 de Dezembro...

Com o apoio do Instituto de Apoio à Criança e por intermediação da nossa ex docente Cláudia Outeiro e actual colaboradora do IAC, iremos receber a ilustradora Vera Pyrrait no Centro de Recursos da Escola, para falarmos do Livro HISTÓRIAS COM DIREITOS.
Realizar-se-á uma sessão com alunos entre as 15:30 e as 17:00 horas e haverá também uma exposição de trabalhos da ilustradora.

Os interessados poderão adquirir o Livro, à venda no Centro de Recursos - 12,24€

O Centro de Recursos vai apoiar uma grande Festa de Natal nas Instalações da Mestre Domingos Saraiva, no próximo dia 12...



quinta-feira, 2 de dezembro de 2010